Lei de autoria do deputado Eduardo Pedrosa, garante selo para faculdades que incentivem à doação de sangue

Agora os centros universitários que estimularem  à doação de sangue ganharão o selo Sangue Bom. “A ideia é que as instituições de ensino incentivem os alunos a adotarem o trote solidário, no lugar de brincadeiras agressivas, um ato que pode salvar vidas”, explica o autor da lei, deputado distrital Eduardo Pedrosa (PTC).  A Lei Nº 6.793, foi sancionada, pelo governador Ibaneis Rocha, nesta terça-feira (26).

As universidades que se comprometerem a organizar campanhas anuais ou semestrais, em parceria com alguma unidade de doação de sangue, ganharão com o selo Sangue Bom. Além disso, os alunos que se propuserem a doar ganharão abono de falta no dia do procedimento.

“Infelizmente o hemocentro passa a maior parte do ano com os estoques baixos, com esse estímulo pretendemos ampliar o número de doadores e tentar resolver esse problema”, diz o deputado. O selo tem validade de um ano, podendo ser renovado, desde que as instituições de ensino  deem continuidade às ações de doação de sangue.

Condições para ser um doador:

  • Ter entre 16 e 69 anos de idade. Menor de 18 anos deve apresentar o formulário de autorização e cópia do documento de identidade com foto do pai, mãe ou tutor/guardião. Idosos devem ter realizado pelo menos uma doação de sangue antes dos 61 anos;
  • Pesar mais de 51 quilos e ter IMC maior ou igual a 18,5;
  • Há medicamentos que podem impedir a doação. Confira algumas restrições em nossa lista de impedimentos;
  • Dormir pelo menos seis horas, com qualidade, na noite anterior à doação;
  • Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação;
  • Não fumar duas horas antes da doação.
  • É importante estar bem alimentado para doar sangue e beber bastante água desde o dia anterior à doação.